Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 19 de junho de 2018.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Governo do Estado

Notícia da edição impressa de 31/12/2015. Alterada em 31/12 às 00h03min

Governo gaúcho paga em dia a folha salarial de dezembro

Em coletiva nos jardins da sede do Executivo, o governador destacou importância do pacote de ajuste fiscal

Em coletiva nos jardins da sede do Executivo, o governador destacou importância do pacote de ajuste fiscal


FREDY VIEIRA/JC
Marcus Meneghetti
O governador José Ivo Sartori (PMDB) anunciou, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, duas medidas relacionadas ao funcionalismo público: disse que o governo pagaria em dia a folha de dezembro, quitando-a até o final desta quarta-feira; e que decretaria o ponto facultativo nas repartições públicas nesta quinta-feira, último dia de 2015. Além disso, fez uma breve avaliação do primeiro ano de gestão.
A coletiva foi organizada nos jardins do Palácio Piratini. Entre uma pergunta e outra, Sartori enxugava o suor da testa, não só por estar falando de temas polêmicos como a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) estadual, por exemplo , mas também por estar embaixo do sol do meio-dia. Em um ou outro momento, foi auxiliado por algumas das pessoas mais próximas no governo, como a primeira-dama, Maria Helena Sartori (PMDB), e o secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes (PMDB).
Um dos primeiros assuntos que abordou foi a Lei de Responsabilidade Fiscal estadual (um dos projetos da sexta fase do ajuste fiscal aprovados nesta semana na Assembleia Legislativa). Disse que a lei bastante criticada por sindicatos por permitir o congelamento dos salários do funcionalismo em períodos de não crescimento da receita do Estado "não é contra os servidores públicos".
Em seguida, anunciou o pagamento da folha. "O secretário da Fazenda me autorizou a dizer que os funcionários vão receber em dia, mesmo com outras retenções. Mas o que importa é que a folha de dezembro vai ser paga dentro da normalidade, e o pagamento vai ser até o final do dia de hoje (quarta)", revelou.
Em uma tentativa de aliviar a tensão entre os servidores públicos e o Palácio Piratini que vem se agravando por conta dos atrasos salariais e projetos de lei considerados lesivos pelos sindicatos da categoria , Sartori divulgou que o governo estava editando um decreto "para que amanhã (31 de dezembro) seja ponto facultativo (nas repartições), em homenagem a todos os servidores".
"Cada funcionário de cada secretaria sabe das responsabilidades que tem. Mas (o ponto facultativo) é uma maneira de demonstrarmos o quanto valorizamos os servidores públicos, para que eles tenham um bom final de ano com as suas famílias", afirmou o governador.
Apesar de o ano de 2015 ter sido de relação conflituosa com as categorias de servidores, Sartori dirigiu um agradecimento ao funcionalismo: "Queria fazer um agradecimento a todos os servidores públicos do estado do Rio Grande do Sul pela forma como nos ajudaram a construir este final de ano. Este foi um ano muito difícil. Foram muitos desafios, mas não se faz poder público sem servidores", afirmou o governador.
Entre os projetos do ajuste fiscal promovido pelo governo aprovados na Assembleia, Sartori destacou dois: o que cria a previdência complementar e o da LRF. "São importantes instrumentos que farão história na vida administrativa do Estado. São pequenos passos que vão ser decisivos para o Rio Grande do Sul desde que eles tenham permanente continuidade", avaliou. 
O chefe do Executivo chamou atenção ainda para a atração de investimentos como o das empresas Foton e Innova no Rio Grande do Sul, o que, segundo Sartori, foi conseguido com a ajuda do governo federal, em especial do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Depois da coletiva, Sartori cumprimentou os jornalistas um por um e se dirigiu à ala residencial do Piratini.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Nádia Silveira 31/12/2015 09h41min
Não fez mais que sua obrigação! Trabalhei corretamente durante todo ano e todos os meses o governo apontando incertezas, quando não atrasou nosso pagamento.