Porto Alegre, quinta-feira, 17 de dezembro de 2015. Atualizado às 15h01.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
34°C
34°C
24°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9010 3,9030 0,45%
Turismo/SP 3,7200 4,1000 0,72%
Paralelo/SP 3,7200 4,1000 0,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

orçamento 17/12/2015 - 16h01min. Alterada em 17/12 às 16h01min

Congresso aprova texto-base do Orçamento de 2016

Agência Brasil

Após duas horas de discussão, o plenário do Congresso aprovou o texto-base do Orçamento de 2016. Os parlamentares discutem agora os destaques da proposta.
A proposta do relator-geral, deputado Ricardo Barros (PP-PR), continha previsão de queda do Produto Interno Bruto (PIB, soma das riquezas produzidas no país) de 1,9% e inflação oficial de 6,47% pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). A taxa Selic (juros básicos da economia) média ficou em 13,99% ao ano, abaixo do nível atual de 14,25% ao ano.
No momento, o Congresso vota o primeiro destaque, que prevê excluir cerca de R$ 24 bilhões da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) da estimativa de receitas do Orçamento. De acordo com a oposição, o Orçamento não pode contar com uma receita que ainda não existe.
Durante as discussões do texto-base, parlamentares e senadores do governo, no entanto, elogiaram a manutenção da verba de R$ 28,1 bilhões para o Bolsa Família no próximo ano. A preservação do orçamento do programa de transferência de renda foi possível depois que o Congresso aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) com a redução da meta de superávit primário - economia para pagar os juros da dívida pública - de R$ 43,8 bilhões para R$ 30,5 bilhões.
A LDO contém parâmetros e estimativas que orientam a elaboração do Orçamento. Da meta de superávit primário para o próximo ano, R$ 24 bilhões correspondem ao governo federal; e R$ 6,5 bilhões aos estados e municípios. Aprovada pelo plenário do Congresso por volta das 13h, a LDO segue para sanção da presidente Dilma Rousseff.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Renan suspende sessão do Congresso, votação da LDO é adiada Comissão fecha acordo e amplia em R$ 7,3 bilhões orçamento da Saúde em 2016
Previsão de recursos para o setor foi revista após a bancada do PMDB ter ameaçado não votar o projeto de lei orçamentária para o próximo ano

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo