Porto Alegre, terça-feira, 15 de dezembro de 2015. Atualizado às 22h00.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
33°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8730 3,8750 0,33%
Turismo/SP 3,7000 4,0700 1,21%
Paralelo/SP 3,7000 4,0700 1,21%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Crise financeira Notícia da edição impressa de 16/12/2015. Alterada em 15/12 às 22h23min

Banrisul nega recusa de empréstimo do 13º salário

ANTONIO PAZ/JC
Mota garante que servidores públicos poderão realizar a contratação

O presidente do Banrisul, Luiz Gonzaga Mota, assegura que os servidores públicos estaduais poderão contratar empréstimo para o recebimento do 13º salário. A garantia é uma reação a relatos de integrantes do funcionalismo que alegaram dificuldades no processo. Ontem à tarde, começaram a se multiplicar as reclamações de servidores públicos que afirmam não conseguir fazer o empréstimo do 13º salário.
Os funcionários informaram que não conseguiram o benefício, porque seus nomes constariam na lista de inadimplentes do Serasa. Mesmo assim, ontem, no primeiro dia em que a linha de crédito para o funcionalismo foi disponibilizada, cerca de 80 mil servidores contraíram o empréstimo, segundo Mota.
O presidente do Banrisul adiantou que pendências com o Serasa não impedem a operação financeira, "basta refinanciar a dívida pendente". "Pode ter acontecido um ruído de comunicação, por ser ainda o primeiro dia dessa linha de crédito. Mas certamente vai ser corrigido nos próximos dias. Todos podem adiantar o 13º", afirmou Mota.
Os servidores poderão optar pelo empréstimo no Banrisul até maio de 2016. O pagamento inclusive os juros pode ser feitoaté os meses em que o Estado se comprometeu em pagar o benefício: entre junho e novembro do ano que vem. Ao contrário do que aconteceu em outros governos, o Estado não vai pagar diretamente ao banco a dívida contraída pelos servidores.
"Uma coisa é a relação dos servidores com o Estado, o que foi acertado no projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa, que aprovou o parcelamento do 13º salário. Outra é o empréstimo que o banco vai fazer aos funcionários, que é através de uma linha de crédito comercial, que segue normas do Banco Central", explicou o presidente do banco do Rio Grande do Sul.
Ele acrescentou ainda que a indenização que o Estado vai pagar aos servidores calculada pela variação da Letra Financeira do Tesouro mais uma taxa de 0,8118% ao mês é compatível com a alíquota que os bancos cobrarão deles. O Banrisul convocou uma coletiva de imprensa para hoje para detalhar os processos relativos ao 13º salário. A presidente do Cpers/Sindicato, Helenir Aguiar Schürer, também agendou um encontro com jornalistas para tratar do tema.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Câmara propõe acordo a precatoristas gaúchos OAB ingressa com ação contra mudança nas RPVs Legislativo pode votar hoje devolução de valores da GM
O plenário da Assembleia Legislativa pode votar hoje o Projeto de Lei do Executivo nº 428/2015
OAB abrevia rito ao STF para barrar lei das RPVs

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo