Porto Alegre, quinta-feira, 10 de dezembro de 2015. Atualizado às 15h02.
Dia Internacional dos Direitos Humanos.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
28°C
31°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,7880 3,7900 1,30%
Turismo/SP 3,6500 3,9800 1,27%
Paralelo/SP 3,6500 3,9800 1,27%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

argentina 10/12/2015 - 16h00min. Alterada em 10/12 às 16h02min

Macri diz que prioridades serão combate à pobreza e ao narcotráfico

JUAN MABROMATA/AFP/JC
Macri disse que seu governo vai buscar unidade e cooperação da América Latina

Agência Brasil

O novo presidente da Argentina, Mauricio Macri, disse hoje (10) que as prioridades de seu governo serão combate à pobreza, ao narcotráfico e unir a Argentina. 
"É um desafio, depois de anos de prepotência e enfrentamento inútil. Todos temos que crescer. Quem votou em nós quer três coisas: pobreza zero, derrotar o narcotráfico e união de todos. Vamos universalizar a proteção social para que nenhuma criança fique desprotegida", disse, ressaltando que adotará políticas para geração de emprego.
Macri disse também que irá governar sem " o personalismo dos que atropelam as instituições por motivos pessoais". Segundo ele, sua gestão será transparente. Durante o governo passado, oposicionistas e formadores de opinião acusavam a gestão de Cristina Kirchner de omitir dados estatísticos da economia, como a taxa de inflação.
Macri disse que seu governo vai buscar unidade e cooperação da América Latina com o restante do mundo e o fortalecimento da democracia na região para superar as adversidades. "Queremos ter um relacionamento normal com todos os países do mundo", afirmou, no discurso de posse no Congresso Nacional.
O novo presidente também defendeu a Justiça independente na Argentina. "No nosso governo, não haverá juízes macristas, não pode haver juízes militantes de algum partido político, não são bem-vindos no meu governo", disse o novo presidente. Ele também quer um Poder Judiciário mais rápido. "Justiça tardia não é justiça".
Macri pediu o apoio de todos os setores para governar e cumprimentou os outros candidatos à Presidência. Todos os candidatos compareceram à posse. "Estamos unidos pela democracia e para ver uma Argentina desenvolvida. Os desafios à frente são enormes, e não poderão ser resolvidos de uma hora para outra, mas asseguro que vamos dar pequenos passos a cada dia. Conto com vocês para governar".
Ele também prometeu combater a corrupção. "Esse governo vai combater a corrupção. Vou ser implacável com os corruptos. Não importa o partido".
O novo presidente sucede Cristina Kirchner, que ocupou a Presidência argentina durante oito anos. Macri foi eleito no segundo turno das eleições, em 22 de novembro, com 51,42% dos votos, contra 48,60% de Daniel Scioli, o candidato apoiado pelo governo.
Estão presentes na posse os presidentes da Colômbia, da Bolívia, do Uruguai, do Paraguai e do Chile. A presidenta Dilma Rousseff não chegou a tempo da posse, porque a cerimônia foi antecipada. Está previsto um encontro de Dilma com Macri na Casa Rosada. 
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Mauricio Macri toma posse e discursa no Congresso Macri defenderá sanções do Mercosul contra a Venezuela Macri vence e encerra era Kirchner Argentinos vão às urnas para segundo turno de eleições presidenciais

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo