Porto Alegre, segunda-feira, 14 de dezembro de 2015. Atualizado às 21h51.
Dia Nacional do Ministério Público.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8860 3,8880 0,41%
Turismo/SP 3,7000 4,1200 1,72%
Paralelo/SP 3,7000 4,1200 1,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Energia Notícia da edição impressa de 15/12/2015. Alterada em 14/12 às 22h15min

AES Uruguaiana não deve ser ativada no verão

ANTONIO PAZ/JC
Botelho participou de reunião do Copergs ontem em Porto Alegre

Jefferson Klein

Uma prática que vinha sendo recorrente nos últimos anos não deverá voltar a se repetir neste próximo verão. De acordo com o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), não haverá necessidade do uso da termelétrica AES Uruguaiana no primeiro quadrimestre de 2016. A usina, que atualmente encontra-se sem geração de energia, nos verões de 2013, 2014 e 2015, colocou sua produção na rede para aumentar a segurança do fornecimento de eletricidade. O ONS também não vê razão para o despacho da usina Sepé Tiaraju, da Petrobras, localizada em Canoas.
A informação foi dada pelo gerente executivo do ONS, Manoel Botelho, durante reunião do Comitê de Operação e Planejamento do Sistema Elétrico do Rio Grande do Sul (Copergs) realizada ontem, no Centro Administrativo Fernando Ferrari, em Porto Alegre. O secretário estadual de Minas e Energia, Lucas Redecker, detalha que a expectativa é de um atendimento elétrico mais tranquilo neste verão, devido à perspectiva de temperaturas mais amenas do que as verificadas em estações passadas e pela retração do consumo causada pela crise econômica.
Como, em princípio, não deve ocorrer maiores dificuldades no abastecimento de energia, a opção mais lógica é evitar a utilização de gerações de custos elevados como a da AES Uruguaiana (que é alimentada com Gás Natural Liquefeito importado) e da Sepé Tiaraju (gás natural ou óleo). O gerente executivo do ONS reitera que, de uma forma global, o Estado encontra-se em uma situação tranquila quanto ao fornecimento de energia para este verão.
O pico histórico de demanda de eletricidade no Rio Grande do Sul foi atingido em 6 de fevereiro de 2014, quando foi alcançado um consumo instantâneo de 6.902 MW. A projeção do ONS é de que o pico de demanda para o restante deste ano e para 2016 não chegue a ultrapassar esse patamar, devendo ficar mais próximo dos 6 mil MW. Botelho acrescenta que, para o próximo ano, estão previstas as conclusões das subestações Jardim Botânico, Restinga e Viamão, que deixarão Porto Alegre como uma das capitais brasileiras com as melhores condições de atendimento de energia. No entanto, poderá haver problemas pontuais em algumas localidades do Estado ou devido a fatores como tempestades e vendavais. Um lugar que apresenta certo risco, devido a limitações no sistema de transmissão, é a região de Camaquã.
Já Redecker salienta a preocupação quanto ao processo de caducidade que tramita no Ministério de Minas de Energia de uma série de obras que precisam ser feitas, principalmente no entorno de Lajeado e Garibaldi. O assunto diz respeito ao lote D do leilão de transmissão de energia realizado em julho de 2013, que foi arrematado pelo consórcio MGF Energy (formado pelas empresas MGF Engenharia e Incorporações e Geoenergy Energia e Serviços). Por contrato, obras em linhas e subestações de transmissão, que nem foram iniciadas, deveriam ser finalizadas ainda no primeiro semestre do próximo ano.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Usina de Charqueadas seguirá operando, diz Hamm
O complexo está em atividade desde janeiro de 1962 e com as determinações da resolução poderia encerrar as atividades no final deste ano
'Energia elétrica no Brasil é muito cara', afirma secretário do MME

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo