Porto Alegre, segunda-feira, 14 de dezembro de 2015. Atualizado às 21h51.
Dia Nacional do Ministério Público.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
24°C
27°C
18°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8860 3,8880 0,41%
Turismo/SP 3,7000 4,1200 1,72%
Paralelo/SP 3,7000 4,1200 1,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Mercado Imobiliário Notícia da edição impressa de 15/12/2015. Alterada em 14/12 às 21h55min

Leilão de área da Fenac em Novo Hamburgo não teve interessados

FENAC/DIVULGAÇÃO/JC
Primeira fase do projeto prevê o aumento da área construída de pavilhões em 16 mil metros quadrados

Rafael Vigna

A abertura das cartas de interesse no Edital de Licitação para a compra de 5 hectares, dos 18, pertencentes à Fenac foi declarado deserto pela comissão de licitações da empresa na tarde de ontem. A prefeitura de Novo Hamburgo detém participação societária de 14% no atual complexo, localizado na Região Metropolitana de Porto Alegre. O lance inicial pretendido pela área, que atualmente abriga um hotel e as quadras de tênis, foi fixado em R$ 18 milhões. A estratégia seria utilizar os recursos para concretizar o plano de expansão do Centro de Eventos e Negócios conhecido pela realização de importantes feiras calçadistas com a Fimec.
Agora, o objetivo é lançar um novo edital em janeiro de 2016. Assim, o segundo certame aconteceria no final de fevereiro ou no início de março do ano que vem. O diretor-presidente da Fenac, Elvir Desiam, destaca que a ausência de propostas pode ser justificada pela conjuntura econômica. "O momento é um pouco delicado e repleto de incertezas, principalmente no que toca aos investimentos. Vamos publicar novo edital repetindo o pleito nos mesmos moldes", afirma.
Apesar do imprevisto, o adiamento não desanima a direção da empresa, que planeja a construção de novos pavilhões desde 2011. O projeto, batizado de Fenac do Futuro, prevê consolidar o centro em uma referência de atração de eventos nacionais e internacionais.
Na primeira fase, o objetivo é acrescentar mais 16 mil metros quadrados de área construída nos dois pavilhões já existentes, elevando também o pé direito a 12 metros de altura. As obras, segundo Desiam, não atrapalhariam programações já agendadas, uma vez que, somente quando a nova estrutura estiver instalada, as antigas serão demolidas.
A modernização ainda inclui climatização, iluminação especial, infraestrutura completa com restaurantes, espaço para convenções com capacidade para mil pessoas e ambiente administrativo. No total, as duas etapas da expansão devem prover o espaço com 42 mil novos metros quadrados. A atual infraestrutura da área sediou 14 eventos de médio e grande portes e recebeu mais de 553 mil visitantes em 2015.
Desde 2009, quando foram realizadas 3 feiras e o público não passou de 91 mil pessoas, o crescimento da demanda supera os 360% em quantidade de eventos e 507% em visitações. Para Desiam, os resultados crescentes no período de seis anos justificam a ampliação. Ele também aponta outro fator capaz de tornar o Centro mais requisitado. Trata-se da logística associada à área. "Temos a estação Fenac, do Trensurb, na porta do Centro. Para quem desembarca no Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, basta pegar um Aeromóvel, depois o Trensurb e, com apenas R$ 1,75, estará dentro da feira. Isso não existe nem em São Paulo", comenta.
Desiam ainda antecipa a intenção de ingressar em um novo nicho. Após a primeira etapa, se tornaria possível atrair atrações musicais de artistas internacionais. Com capacidade para abrigar cerca de 40 mil pessoas, o diferencial seria a oferta de um espaço com proteção contra chuvas. Além disso, a localização facilitaria o acesso e o deslocamento de públicos residentes nas cidades da Região Metropolitana.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Salão do Imóvel fecha R$ 58 milhões em negócios Alta do dólar inibe compra de imóveis nos EUA Lançamentos de imóveis caem 2,3% no 3º tri na comparação anual, diz Abrainc/Fipe

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo