Porto Alegre, quinta-feira, 17 de dezembro de 2015. Atualizado às 18h32.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
30°C
28°C
20°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,8910 3,8930 0,71%
Turismo/SP 3,7200 4,1000 0,72%
Paralelo/SP 3,7200 4,1000 0,72%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
Teatro Antônio Hohlfeldt


Teatro

Notícia da edição impressa de 18/12/2015

Bibi Ferreira, a atriz que canta

Sábado retrasado, enquanto Marília Pêra, aos 72 anos de idade, falecia no Rio de Janeiro, a atriz Bibi Ferreira, com 93 anos, apresentava-se em espetáculo dedicado à música de Frank Sinatra, no Teatro Bourbon Country, parte de turnê nacional que vem realizando com este espetáculo. Marília Pêra e Bibi Ferreira haviam se encontrado, ainda no início do ano, em um espetáculo, A atriz, criado a partir de texto de Marília e dirigido por Bibi a pedido daquela. Reeditavam parcerias raras, como em My fair lady, dos anos 1960, quando ambas estiveram em cena juntas. Considerando-se atriz que canta, e não uma cantora, em sentido estrito, Bibi Ferreira considera Frank Sinatra o maior cantor do século XX, e por isso, ousadamente, enquanto mulher, resolveu interpretar algumas de suas canções.
Na verdade, Bibi não canta só composições de Sinatra, e isso é um dos tantos acertos do espetáculo. Confesso que, num primeiro momento, temia pelo que pudesse acontecer em cena. Ainda guardo lembrança negativa da última vez em que vi Procópio Ferreira, seu pai, no palco do Theatro São Pedro, interpretando Molière, de maneira constrangedora, diante da idade. Bibi, ao contrário, teve - ela mesma ou sua equipe; ou ela e sua equipe - primeiro, o bom senso de idealizar um espetáculo de duração compatível com as possibilidades da atriz, pouco mais de uma hora de duração. Mas que hora! Simplesmente emocionante!

Leia o texto integral em nossa
ediÇÃo para folhear

  • Acesso gratuito, durante fase de avaliação, mediante cadastro.
  • Clique aqui para acessar.
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
A anônima violência dos desaparecidos
Formado em Química, mas logo voltando-se para o teatro, o argentino Daniel Veronese passou a dirigir espetáculos teatrais e se tornou dramaturgo

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo