Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de setembro de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Campeonato Brasileiro

Edição impressa de 16/10/2015. Alterada em 12/09 às 14h12min

Grêmio controla o Santos e vence

Zagueiro Bressan superou a defesa para marcar o gol do jogo

Zagueiro Bressan superou a defesa para marcar o gol do jogo


Lucas Uebel/Grêmio FBPA/Divulgação/JC
Grêmio e Santos se enfrentaram nesta quinta-feira em um dia no qual realizar um evento esportivo em uma região profundamente afetada pelo temporal da noite anterior foi a prova de que o futebol está desconectado da realidade das comunidades que o cercam. Se, fora de campo, faltou sensibilidade por parte de dirigentes, dentro dele sobrou intensidade dos atletas. Ao final dos 90 minutos, a vitória gremista por 1 a 0 foi justa para um time que foi eficiente quando teve sua oportunidade e que soube se defender sem correr riscos.
Os donos da casa mostraram que a pausa de dez dias no campeonato fez bem. Com dois minutos de jogo, o Tricolor já tinha duas chances de abrir o placar. Apostando na fórmula consagrada que levou o time ao topo da tabela, o Grêmio trocava passes curtos e fazia uso de uma marcação alta, no campo santista. Os paulistas, entretanto, não se abstiveram de atacar, apostando na qualidade de Lucas Lima para armar no meio e acionar os atacantes pelos lados.
O retorno do meio-campo ideal de Roger - com Walace, Maicon, Douglas e Giuliano - deu estabilidade ao setor e o alto número de erro de passes dos últimos jogos não foi visto na Arena. O resultado da boa atuação gremista veio aos 26 minutos. Douglas cobrou escanteio pela esquerda e Bressan nem precisou subir muito para escorar de cabeça e vencer o goleiro Vanderlei. O Santos sentiu o gol dos gaúchos e o Grêmio obteve um domínio ainda maior na segunda metade da primeira etapa.
O Santos voltou do intervalo querendo empatar a partida. Com um posicionamento mais à frente, o Peixe passou a acossar a defesa gremista, que, apesar disso, se manteve segura. Com a entrada de Pedro Rocha no lugar de Bobô, os donos da casa passaram a apostar no contra-ataque.
Mesmo com um controle maior santista, a melhor chance do segundo tempo foi gremista. Aos 26, Walace deu assistência primorosa para Pedro Rocha finalizar, mas Vanderlei evitou o gol. O cenário se manteve nos minutos finais, com os paulistas buscando o ataque, e o Tricolor se defendendo com competência. O Grêmio volta a campo no domingo, contra a Chapecoense, novamente na Arena. 
Grêmio 1 x 0 Santos
Bruno Grassi; Galhardo, Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano e Douglas (Maxi Rodríguez); Luan (Moisés) e Bobô (Pedro Rocha). Técnico: Roger Machado.
Vanderlei; Zeca, Werley, David Braz e Chiquinho; Thiago Maia (Serginho), Renato e Lucas Lima; Marquinhos Gabriel (Neto Berola), Gabriel e Leandro (Nilson).Técnico: Dorival Júnior.
Árbitro: Heber Roberto Lopes (Fifa/SC).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Dorian R. Bueno 16/10/2015 12h52min
Crônica JC 104/2015 / MENU DO INTERNACIONAL /nnA retomada do BRASILEIRÃO mostrou que três clubes da FRENTE e outros de TRAZ estavam bem motivados, descansados e com fome de bola, mas os jogadores do INTERNACIONAL parece que já estava com o bucho cheio de mesmice física, técnica, tática e desculpas por estar sem apetite. Quem sabe antes de ir lá para as MINAS GERAIS, os jogadores comeram tanto churrasco e pizzas aqui no SUL, que tiveram que tirar uma soneca durante o jogo. Os jogadores estavam tão espaçados dentro do campo, que até penso que precisavam de um espaço maior devido à gordura acumulada na barriga e não na tabela de classificação. Bah Tchê, cá entre nós, o nosso COLORADO perder para o vice-líder é normal, mas não conseguir fazer a sua parte na cozinha do ATLÉTICO MINEIRO, já está virando rotina. Na última quarta feira e ontem tivemos uma rodada a nosso favor, e os jogadores não conseguiram mostrar o que treinaram durante todos estes dias de PARADA TÉCNICA para evoluir rumo ao G4. Deixamos de comer um GALO A MINEIRA que tem uma carne diferenciada, para sofrer com um PRATTO ARGENTINO que mostrou o seu forte tempero latino em nossa cozinha. É estranho planejar, criar expectativa para algo surpreendente e voltar para casa com fome. Agora vamos ter que preparar o estômago, para quem sabe digerir uma carne mais estranha, como o URUBU CARIOCA do FLAMENGO. Tomara que os jogadores não se borrem de medo para devorar esta carne estranha, mesmo que precisem tomar depois do jogo uns LACTOPURGAS. Abs. Dorian R. Bueno POA 16.10.2015 Dorian Bueno Google+n n