Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

14/05/2018 - 11h51min. Alterada em 14/05 às 11h51min

OMS planeja ação para conter surto de ebola no Congo

Profissionais de saúde usam equipamentos de proteção enquanto se preparam para atender pacientes

Profissionais de saúde usam equipamentos de proteção enquanto se preparam para atender pacientes


MARK NAFTALIN/AFP PHOTO/ JC
Agência Brasil
Em meio ao risco de surto do Vírus ebola na República Democrática do Congo (África), a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou uma ação específica para região. Um grupo de especialistas foi ao país para verificar as condições, o envio de suprimentos e equipamentos. O esforço é para prevenir e controlar infecções. A taxa de fatalidade do vírus varia entre 25 e 90%.
O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, esteve ontem (13) na cidade de Bikoro, no noroeste da República Democrática do Congo, para analisar a situação. Ele se reuniu com o presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, e com o ministro da Saúde, Oly Ilunga Kalenga, para avaliar as medidas já definidas.
Participaram da visita à República Democrática do Congo, Matshidiso Moeti, diretor regional da OMS para África, e Peter Salama, diretor-geral adjunto da entidade para Prevenção e Resposta a Emergências, além do diretor geral da organização. As informações são da OMS. Paralelamente, o Ministério da Saúde do Congo faz coletas e testes para verificar a contaminação da doença. "Em Bikoro, vi em primeira mão os esforços que as autoridades nacionais de saúde e todos os nossos parceiros estão investindo em estabelecer rapidamente os elementos-chave da contenção do ebola", afirmou Tedros Ghebreyesus.
Pelos relatos da organização não governamental (ONG) Médicos sem Fronteiras, a primeira informação sobre o Vírus ebola surgiu em 1976, em surtos simultâneos no Sudão e na República Democrática do Congo, em uma região situada próximo do Rio Ebola, que dá nome à doença. Há cinco espécies do Vírus ebola: Bundibugyo, Costa do Marfim, Reston, Sudão e Zaire, nomes dados a partir dos locais de origem. Quatro desses tipos causaram a doença em humanos. Mesmo que o Vírus Reston possa infectar humanos, nenhuma enfermidade ou morte foi relatada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia