Carla Silva (centro) inclui as mulheres na prática do boxe Carla Silva (centro) inclui as mulheres na prática do boxe Foto: MARCO QUINTANA/JC

Empreendedora cria centro de treinamento de boxe exclusivo para mulheres

A ideia do negócio surgiu porque as praticantes não se sentiam confortáveis em academias usuais

O boxe é um esporte popularmente conhecido pelo confronto de golpes que os atletas trocam entre si no ringue. Mesmo com esta característica, traz diversos benefícios a seus praticantes e é uma atividade física ativa, que pode vir a ser bastante divertida. Ciente disso, o público feminino abraçou o esporte, não só nas categorias profissionais. Carla Silva, 40 anos, proprietária do centro de treinamento que leva seu nome, criou o espaço exclusivamente para que mulheres pratiquem e aprendam a modalidade, em Esteio. O local fica na avenida Senador Salgado Filho, nº 543, no Centro.
A decisão surgiu da percepção de que muitas das alunas não se sentiam confortáveis em espaços mistos, mesmo com turmas exclusivas para mulheres. "Eu perdia muitas alunas quando o público era misto, às vezes, as meninas não se sentiam à vontade", conta. Assim, em abril de 2014, Carla inaugurou o negócio próprio. O investimento na primeira compra de equipamentos foi de R$ 5 mil.
Antes de virar dona do seu próprio ringue, Carla trabalhava em academias. O primeiro contato com o esporte foi em Canoas, há 15 anos. E foi amor ao primeiro combate. "Quando eu entrei para o boxe eu me apaixonei. Vi que dava muito resultado na parte de emagrecimento", lembra.
Encantada pelos benefícios que surgem através da prática, ela decidiu se aprimorar. "Fui a São Paulo para me inteirar, passei uns dias na seleção brasileira (de Boxe) para estudar e ter esse suporte para passar para as atletas. E continuo sempre estudando", garante.
"Mesmo tendo formação em Educação Física é necessário ter os cursos da federação para ter os alvarás e poder colocar os atletas para lutar", explica ela, que também é técnica do esporte pela Federação Gaúcha de Boxe.
Atualmente, o espaço recebe cerca de oitenta alunas, divididas em oito turmas. Carla conta que o público do centro de treinamento é variado, com meninas a partir dos nove anos a senhoras de mais idade.
Para levar o esporte a mais pessoas ainda, a empreendedora possui uma turma para meninas a partir de nove anos que recebe aulas gratuitamente. Ela atribui a atitude ao gosto que tem pelo esporte. "É um trabalho de coração mesmo, que a gente faz por amor", ressalta.
Mesmo com exemplos de alunas que perderam 30 kg de sobrepeso, Carla afirma que o maior resultado é perceptível na qualidade de vida das praticantes.
"Elas entram atrás de emagrecimento, mas a maior recompensa é ver como elas ficam bem, como trabalham melhor e ficam menos estressadas", pontua. Há relatos de pessoas que diminuem o uso de antidepressivos ou, até mesmo, interrompem medicações psiquiátricas, pela qualidade de vida que o boxe traz. "Aqui elas largam tudo no saco de pancadas", brinca.
MARCO QUINTANA/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio