Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 14 de maio de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

seleção brasileira

Notícia da edição impressa de 15/05/2018. Alterada em 14/05 às 22h00min

Com Geromel e Taison, Tite convoca os 23 em busca do Hexa

Tite após coletiva de imprensa para divulgar os convocados

Tite após coletiva de imprensa para divulgar os convocados


MAURO PIMENTEL/AFP/JC
O mistério acabou. No início da tarde de ontem, o técnico Tite divulgou a lista dos 23 jogadores convocados para a Copa do Mundo da Rússia. E não é possível dizer que há surpresas entre os escolhidos para tentar o hexacampeonato. Na zaga, o gremista Pedro Geromel foi recompensado pelo bom momento no Tricolor. Já Taison foi escolhido para o ataque, se tornando o nome mais questionado. Sem Daniel Alves, o treinador optou por levar Danilo, do Manchester City, e Fágner, do Corinthians. No gol, Cássio ficou com a terceira vaga.
A opção pelo ponta do Shakhtar Donetsk, ex-Inter, deixará Tite sem um jogador especialista em bola aérea para o comando do ataque. Entretanto, Tite manteve a coerência das convocações e manteve Tite na lista final. Willian José, convocado para os amistosos de março, foi preterido desta vez. Porém, o problema não tira o sono do técnico, que prefere valorizar os nomes à disposição.
"Não podemos ficar lamentando a ausência de um jogador. Teremos jogadores bons na bola aérea. Firmino é um excelente cabeceador, e o Gabriel também cabeceia bem. Não teremos esse jogador mais encorpado, mas teremos boas opções ali na frente", justificou o comandante. A um mês do Mundial, Tite afirma não saber quem escolherá para a lateral direita. A titularidade da posição, que seria de Daniel Alves, ficou indefinida desde a lesão do jogador do PSG:
Para montar o time ideal para o Mundial na Rússia, a comissão técnica brasileira viajou muito nos últimos dois anos. Desde o início da era Tite, em junho de 2016, o técnico e sua equipe assistiram - in loco - a 251 partidas. No ano retrasado, foram 72 partidas in loco (17 no exterior e 55 no Brasil). Em 2017, foram 138 (73 no exterior e 65 no Brasil). Em 2018, mesmo com apenas dois jogos disputados, foram 41 observados (22 fora e 19 no País). O grupo convocado por Tite é a quarta mias velha na história do Brasil nas Copas. Os atletas têm a média de 28,1 anos de idade - 2010 (29,3), 2006 (28,3) e 2014 (28,2) foi superior.
JC

O que disse Tite:

"O Brasil é um dos favoritos, sim. Pelo futebol que tem apresentado e pela consistência da equipe.
Se pegar todos os técnicos brasileiros, não teria consenso. Não quero e não tenho a pretensão de ser consenso e de me colocar desta forma. Concordar ou não é do livre arbítrio, é do feeling, da sensibilidade, é da ideia de futebol que a gente pensa ser melhor. Quero um time mais alto porque vai ter jogadores de bola parada alta.
O aspecto psicológico e emocional é fundamental. São de três a sete jogos, as tensões são muito fortes e tem que aguentar as pressões. Todos aqueles que passaram por outras copas vão me ajudar e ajudar a comissão técnica.
Temos competições abertas na seleção. Na lateral direita, com a ausência de Daniel Alves. Na defesa também temos três jogadores no mesmo nível, Marquinhos, Thiago Silva e Miranda. É verdade esse fato de o Firmino estar atravessando grande fase. Porém, o Gabriel voltou em alto nível após as lesões."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia