Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Alterada em 13/03 às 08h43min

Meirelles diz que rejeição a Temer não deve prejudicar sua eventual candidatura

Ministro da Fazenda tem até o dia 7 de abril para deixar o cargo caso concorra às eleições

Ministro da Fazenda tem até o dia 7 de abril para deixar o cargo caso concorra às eleições


BETO BARATA /PR/JC
O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, avaliou que a grande rejeição ao governo Michel Temer não deve prejudicar a sua eventual candidatura à Presidência da República neste ano. "A economia vai muito bem e população vai entender isso. A população vai entender quem é o responsável pela melhora da economia", afirmou, em entrevista à rádio Som Maior, de Criciúma (SC).
O ministro reiterou que ainda não decidiu se irá mesmo disputar a eleição deste ano e lembrou que tem até o dia 7 de abril para deixar o cargo, caso opte por concorrer ao Planalto. Meirelles ainda minimizou a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e do deputado Jair Bolsonaro (PSL-RJ) nas pesquisas eleitorais. Segundo ele, apesar da distância aberta pelos dois candidatos, haveria espaço para a sua candidatura.
"Há uma espaço muito grande no centro, entre os chamados extremos. E a maioria da população brasileira está no centro, e não nos extremos", afirmou. "A maioria da população espera um candidato que tenha foco na recuperação de emprego e renda", completou, citando a Educação e a Segurança Pública como outras prioridades para o País.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia