Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Eleições 2018

Notícia da edição impressa de 08/03/2018. Alterada em 08/03 às 00h26min

Bolsonaro se filia ao PSL para disputar o Planalto

Pré-candidato é segundo colocado em pesquisas de intenção de voto

Pré-candidato é segundo colocado em pesquisas de intenção de voto


MATEUS BONOMI/AGIF/FOLHAPRESS/JC
O deputado federal Jair Bolsonaro formalizou ontem sua filiação ao PSL, sigla pela qual pretende disputar a presidência da República. O parlamentar aparece em segundo lugar nas pesquisas do Datafolha, com 16% a 18% das intenções de voto, atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Sem o petista, o deputado sobe para primeiro, com 19%.
Em seu discurso, durante evento realizado na Câmara dos Deputados, em Brasília, o parlamentar defendeu uma agenda econômica liberal, de privatização das estatais e redução de impostos, e conservadora nos costumes, com críticas ao casamento gay e à decisão do STF que permite que transexuais mudem o registro civil sem cirurgia.
Bolsonaro voltou a defender que o Ministério da Defesa seja ocupado por um general e a flexibilização do Estatuto do Desarmamento, além de criticar o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (PPS), a quem chamou pejorativamente de "desarmamentista".
O pré-candidato disse que terá "15 vagas" em seu ministério e que apresentará os nomes no início da campanha eleitoral. "É gente capacitada que nós temos que ter aí, com civis e com militares." Ele também afirmou "não conhecer economia". "É uma virtude reconhecer o que você não sabe, melhor reconhecer do que fazer errado."
Segundo o presidente nacional do PSL, o deputado Luciano Bivar, além de Bolsonaro, devem se filiar ao partido ao menos outros sete parlamentares.
Caso isso se confirme, a bancada saltará de 3 para 11 deputados na janela partidária, que se inicia hoje e vai até 7 de abril.
Bolsonaro chegou ao evento acompanhado pelos filhos Flávio e Eduardo, deputados estadual e federal, respectivamente. Ovacionado na entrada, foi recebido com gritos de "eu quero Bolsonaro presidente do Brasil".
Rostos conhecidos da militância direitista se juntaram ao ato. Pulularam gravatas com o adesivo "melhor Jair se acostumando", coros de "mito!" e "glória a Deus!". A rede de wi-fi foi batizada de "Bolsonaro Presidente".
"Ex-feminista e boa cristã", Sara Winter era uma delas. Hoje no PSC, vai se filiar ao PSL. "Foi Bolsonaro quem fez minha iniciação política", conta. Outra figura presente no evento era Carla Zambelli, uma das idealizadoras do "Nas Ruas", movimento pró-impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia