Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 12 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

CORRIGIR

estados unidos

Alterada em 12/03 às 14h01min

Casa Branca apoia leis mais duras para aquisição de armas, diz Trump

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira que o endurecimento dos processos para aquisição de armas de fogo tem apoio total da Casa Branca e voltou a defender a presença de professores armados nas salas de aula.
"A legislação está caminhando para frente. Os bump stocks logo serão proibidos. Professores altamente treinados terão permissão para portar armas, iniciativa sujeita a lei estadual", escreveu Trump no Twitter.
Ele disse ainda que tudo está avançando rápido, apesar do pouco apoio político à causa, e reiterou que se as escolas continuarem sendo zona livre de armas, "violência e perigo são convidadas a entrar".
Os comentários do presidente americano foram feitos em meio a um debate acalorado que se espalhou pelos EUA após o ataque a tiros no mês passado em uma escola da Flórida que provocou a morte de 17 pessoas.
No último sábado (10), o Departamento de Justiça dos EUA emitiu uma regulação para proibir os bump stocks, dispositivos com os quais algumas armas de fogo podem disparar tão rapidamente quanto metralhadoras. Além disso, o governador da Flórida, Rick Scott, assinou uma lei que eleva a idade mínima para a compra de fuzis, de 18 para 21 anos, e impõem um período de espera de três dias para a compra de qualquer armamento.
As medidas geraram protesto da Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês), que entrou com uma ação judicial contra o Estado da Flórida para bloquear a lei. Para a NRA, a idade mínima é injusta para as pessoas de 18 a 20 anos e a nova lei viola a Segunda Emenda da Constituição americana, que discorre sobre o direito dos cidadãos de possuir e portar armas. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia