Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 08 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

Notícia da edição impressa de 08/03/2018. Alterada em 08/03 às 00h26min

Governo Trump processa estado da Califórnia por leis pró-imigração

O Departamento de Justiça norte-americano entrou com uma ação contra o estado da Califórnia por causa de leis locais que protegem imigrantes. O governo do presidente Donald Trump questiona a legalidade de três dispositivos estaduais, aprovados nos últimos meses, que limitam a obrigatoriedade de empresas e autoridades californianas em colaborar com a agência de imigração federal, a fim de reportar a existência de estrangeiros sem documentação.
Uma das leis, por exemplo, proíbe autoridades policiais de perguntar sobre o status legal de estrangeiros durante procedimentos de rotina. Esse tipo de regra fez com que a Califórnia e outras regiões do país fossem conhecidas como "santuários" para imigrantes - algo a que Trump afirma ser absolutamente contrário.
"O Departamento de Justiça e o governo Trump irão lutar contra essas políticas injustas, desleais e inconstitucionais que foram impostas", avisou o secretário da Justiça, Jeff Sessions.

Casa Branca sanciona Coreia do Norte por morte de irmão de Kim Jong-un

A Casa Branca anunciou novas sanções contra a Coreia do Norte por considerar que o regime de Kim Jong-un usou uma arma química para matar Kim Jong-nam, irmão mais velho do líder do país asiático. Crítico a seus familiares e vivendo no exílio desde 2001, Kim Jong-nam morreu após ter sido atingido por um spray no aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, em fevereiro de 2017.
A substância foi identificada como gás VX, agente que ataca o sistema nervoso, levando à morte por convulsão. As duas autoras - uma indonésia e uma vietnamita - são processadas pelo homicídio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia