Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Coreia do Norte

Notícia da edição impressa de 06/03/2018. Alterada em 05/03 às 23h00min

Delegação do Sul se encontra com Kim Jong-un

Uma delegação da Coreia do Sul se encontrou com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, ontem, em Pyongyang, durante uma visita que tem como objetivo incentivar um diálogo entre a Coreia do Norte e os Estados Unidos. Washington e Pyongyang expressaram a disposição de conversar, mas o presidente dos EUA, Donald Trump, exige que, primeiro, o regime abra mão de suas armas nucleares. Já o Norte disse que não conversará com pré-condições e descartou interromper seu programa.
A delegação do Sul, formada por dez pessoas, foi liderada pelo diretor do Escritório de Segurança Nacional, Chung Eui-yong. "Expressaremos o desejo do presidente Moon Jae-in de alcançar a desnuclearização da península coreana e a paz permanente, ampliando a boa vontade e a melhoria das relações intercoreanas criadas pela Olimpíada de Inverno de PyeongChang", disse.
Logo após a chegada, o grupo foi convidado a se reunir com Kim Jong-un em um jantar. As autoridades sul-coreanas são as mais graduadas a se encontrarem com Kim desde que ele assumiu o poder, no final de 2011, após a morte de seu pai, Kim Jong-il.
A expectativa é que os sul-coreanos consigam dos vizinhos alguma sinalização sobre o programa nuclear. Após Pyongyang, Chung deverá ir a Washington para debater com diplomatas o resultado da visita.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia