Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

13/03/2018 - 16h26min. Alterada em 13/03 às 16h35min

Governo lança campanha para ampliar adesão à vacina contra HPV e meningite C

Para tentar melhorar os índices de cobertura vacinal, que estão bem abaixo da meta estabelecida, o Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira uma campanha publicitária para vacinar jovens e adolescentes contra meningite e HPV. A iniciativa, que vai até dia 30, é feita de forma simultânea com um movimento para convencer escolas públicas a aderirem a estratégia de promover dias de vacinação dentro dos estabelecimentos para estudantes. Logo que a vacinação de HPV foi introduzida no Brasil, em 2014, escolas aderiram de forma maciça à estratégia.
No entanto, diante da notícia de casos (depois descartados) de reações adversas ainda naquele ano, a adesão caiu de forma expressiva. E, com ela, os índices de cobertura vacinal entre os adolescentes. A ideia, agora, é tentar vencer essa resistência.
Atualmente, 48,9% das meninas de 9 a 14 anos completaram as duas doses de vacina. Os indicadores da primeira dose são mais expressivos: 79,2%. "Mas não é suficiente. A proteção somente se estabelece com as duas doses", alerta a coordenadora do Programa Nacional de Imunização do Ministério da Saúde, Carla Domingues. Entre meninos de 11 a 14 anos, a cobertura vacinal é de 43,8%, apenas com a primeira dose.
Os dados da vacina meningocócica C não são muito diferentes. A meta é vacinar 80% de adolescentes entre 11 e 14 anos - um público alvo maior do que no ano passado, quando a vacina era oferecida para jovens entre 12 e 13 anos. Tanto a vacina contra HPV como a de meningite C estão disponíveis durante todo o ano, nos postos de saúde.
Um dos maiores empecilhos para ampliar a vacinação, avaliam técnicos do ministério, é a divulgação de notícias falsas envolvendo a imunização. "Para combatê-las, preparamos uma material específico que será divulgado nas redes sociais. Esclarecendo o que é mito e, sobretudo, mostrando que temos o apoio de todas as sociedades científicas".
O Ministério da Saúde estima que ocorram 16 mil casos de câncer de colo de útero por ano, com 5 mil óbitos. Mais de 90% dos casos de câncer anal e 63% dos casos de cânceres de pênis estão relacionados ao HPV.
A vacina contra meningite, por sua vez, é aplicada aos três, cinco e 12 meses. Um reforço deve ser dado na adolescência.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia