Virginia trabalha na planta de Guaíba da ThyssenKrupp, onde desempenha o papel de diretora de compras Virginia trabalha na planta de Guaíba da ThyssenKrupp, onde desempenha o papel de diretora de compras Foto: /THYSSENKRUPP/DIVULGAÇÃO/JC

O sobe e desce de uma vida de gestora

Virgínia Decker é um dos exemplos de mulheres empreendedoras do nosso Especial de Dia da Mulher. Ela comanda a equipe de compras de toda a América Latina em uma multinacional

Virgínia Decker entrou no universo dos elevadores em 1993, como estagiária na Elevadores Sûr - empresa local e familiar comprada posteriormente pela alemã ThyssenKrupp Elevadores. Mais de 20 anos se passaram, e, hoje, ela ocupa o posto de diretora de compras correspondente a toda a América Latina para a multinacional, na planta de Guaíba. "Achava que iria seguir o caminho do Marketing, até que me apaixonei pela questão fabril."
Formada em Administração de Empresas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs), Virgínia cresceu na empresa em meio a muitos diplomas de Engenharia, algo que nunca a intimidou. "Aqui, tem muita abertura para visitar outras áreas e aprender, então aprendi muito sobre produto e projeto. E nunca tive medo", ressalta a diretora, que, não raro, é a única mulher em uma reunião de 20 pessoas. "Nem me dou conta", ri.
Na hora de selecionar pessoas, não olha gênero, e sim qualificação. "Coincidentemente, minhas duas últimas contratações foram mulheres. Acho que ainda temos um espaço grande para crescer em cargos de liderança", opina.
Libriana e indecisa na vida pessoal, Virgínia aprendeu a ser assertiva nas decisões do negócio. "Aprendi a ter pessoas qualificadas na posição certa, e que não se constrói nada sozinha. Tive muitos líderes e colegas muito bons, e é preciso construir esse relacionamento, não podemos perder as conexões com as pessoas. Vejo as mulheres (no meio corporativo) mais abertas à conversa, e isso é bem precioso", diz. Entre suas principais funções está adequar e definir as estratégias de compras - alinhadas com as diretrizes da matriz na Alemanha - e coordenar o trabalho de 26 pessoas. Uma das experiências mais marcantes de sua carreira foi ter coordenado o desenvolvimento da cadeia de fornecedores na China.
Para outras mulheres que estão na mesma direção de postos de liderança, aconselha: "Tem que confiar em suas habilidades e ter coragem".
THYSSEN/DIVULGAÇÃO/JC
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Mostre seu Negócio