Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 09 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Futebol

09/03/2018 - 12h05min. Alterada em 09/03 às 12h07min

Dorival Junior é demitido pelo São Paulo após derrotas

Dorival Junior não é mais técnico do São Paulo. O treinador foi demitido nesta sexta-feira (9) e deixa o comando do time tricolor depois de 40 jogos em que obteve aproveitamento de 50,8%, com 17 vitórias, 10 empates e 13 derrotas.
Após muitas oscilações no início de ano, a gota d'água para sua saída foi a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras no Allianz Parque, sofrida na noite da última quinta-feira, em que o time foi completamente dominado pelos donos da casa do início ao fim do jogo. Foi a terceira derrota em três clássicos do São Paulo no ano.
Contratado em julho de 2017 para substituir Rogério Ceni, Dorival conduziu o time na luta contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Para 2018, perdeu duas peças importantes do elenco, Hernanes e Lucas Pratto, e não conseguiu acertar o time no início de temporada.
Apesar de ter garantida a vaga nas quartas de final do Paulistão e de ter passado por duas fases da Copa do Brasil, o time vinha sendo criticado pelas exibições ruins e pela dificuldade de jogar mesmo diante de adversários modestos, teoricamente mais fracos. Foi assim em jogos do Estadual e do torneio nacional.
Além disso, pesou contra Dorival Junior o péssimo retrospecto em clássicos paulistas à frente do São Paulo. Venceu apenas um, com o Santos, por 2 a 1, no segundo turno do Brasileirão de 2017. Naquela edição do Nacional, empatou com o Corinthians por 1 a 1 e perdeu para o Palmeiras por 4 a 2. Neste ano, além do duelo contra os palmeirenses, já tinha sido derrotado pelos corintianos por 2 a 1 e pelo Santos por 1 a 0.
Dorival caminhava para tentar superar seu primeiro momento de grande pressão deste início de temporada, causado pelas derrotas para Santos e Ituano no Paulistão. Bancado pela diretoria, o treinador foi avisado que sua permanência estava condicionada a resultados, e fez mudanças importantes no time. Sacou os "medalhões" Diego Souza e Nenê, apostou em um jogo com mais agilidade e conseguiu ficar invicto por três jogos (empate com a Ferroviária e vitórias sobre CRB e Linense).
Mas o duelo com o Palmeiras era decisivo. Esta já era a leitura nos bastidores desde a derrota para o Santos, depois da qual conselheiros começaram a atuar para tentar convencer o presidente tricolor Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, a demiti-lo
Ao oficializar a demissão de Dorival, o São Paulo também informou que André Jardine, técnico da equipe sub-20, assumiu o time interinamente e já comandará o treino marcado para a próxima tarde, quando a diretoria tricolor também fará um pronunciamento no CT da Barra Funda. O treinamento visará o jogo contra o Red Bull Brasil, domingo, às 17 horas, no Morumbi, pela última rodada da primeira fase do Paulistão.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia