Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

Alterada em 13/03 às 21h23min

Comissão do PL da Eletrobras na Câmara elege Hugo Motta como presidente

A comissão especial que analisa o projeto de lei de privatização da Eletrobras elegeu nesta terça-feira, 13, como presidente o deputado Hugo Motta (MDB-PB). Ele era o único candidato ao cargo e foi eleito por 18 votos favoráveis e um voto em branco.
Até então, presidia a mesa o deputado Simão Sessim (PP-RJ), que, por ser o parlamentar com mais legislaturas, era o decano da comissão no dia de hoje. Motta assume agora o comando dos trabalhos da comissão.
Motta designou o deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA) como relator do projeto, a despeito dos protestos da oposição, que reclamou do início da ordem do dia no Plenário da Câmara.
Segundo Motta, por não ser uma deliberação, mas uma escolha do presidente, a designação de Aleluia poderia ser realizada sem problemas.
A próxima sessão será no dia 20 de março, às 14h30, quando serão discutidos o cronograma dos trabalhos e a convocação de audiências públicas sobre o projeto.
Motta disse que vai comandar os trabalhos com sensibilidade, responsabilidade e respeito a todos os partidos e promete dar voz a todos os deputados. "Espero que o debate seja enriquecedor É o que o povo brasileiro espera", disse.
"Não tem energia elétrica do PT, PSDB ou MDB, de direta ou esquerda, temos que debater como essa energia deve chegar mais eficiente e barata para a nossa população."
Assim que Motta foi eleito e Aleluia foi designado, a comissão ficou esvaziada e os deputados foram para o plenário da Câmara, devido ao início da ordem do dia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia