Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

petroleo

Alterada em 13/03 às 18h45min

Statoil espera concluir parceria com Petrobras este ano para entrar em Roncador

A norueguesa Statoil aguarda a aprovação da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) para começar a trabalhar no campo de Roncador, na Bacia de Campos. A aprovação da sociedade com a Petrobras pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) foi publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira (13). A expectativa da Statoil é que a parceria seja concretizada ainda neste ano, após passar pelo crivo de todos os órgãos reguladores.
A parceria entre as duas empresas foi anunciada no fim do ano passado. Pelo valor total de US$ 2,9 bilhões, a Statoil comprou 25% de Roncador, que continua sendo operado pela Petrobras, dona de 75% do campo. Roncador é o terceiro maior produtor nacional. Com 219 mil barris por dia (bpd), está atrás apenas de Lula e Sapinhoá, num ranking dos 20 maiores produtores de petróleo no País, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).
A área, porém, está em fase de declínio da produção. Por isso o interesse da Petrobras em firmar parceria com a Statoil, reconhecida por recuperar campos maduros na Noruega. Segundo o presidente da petroleira norueguesa no Brasil, Anders Opedal, o objetivo é aumentar o fator de recuperação do projeto em 5 pontos porcentuais.
Já a área de Carcará, também adquirida da Petrobras, no pré-sal da Bacia de Santos, está em fase de planejamento do desenvolvimento e de definição do desenho do projeto, disse Opedal. A empresa contratou o navio-sonda West Saturn, da Seadrill, para perfurar o bloco BM-S-8, onde está Carcará. No fim deste ano, ou início do ano que vem, a mesma embarcação será deslocada para Carcará Norte, adquirida no segundo leilão de partilha, no ano passado.
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia