Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 13 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Agronegócios

Notícia da edição impressa de 14/03/2018. Alterada em 13/03 às 22h35min

Valor da produção deve ter queda de 5,2% em 2018

Arroz é um dos produtos com tendência de redução para este ano

Arroz é um dos produtos com tendência de redução para este ano


/CAMILA DOMINGUES/PALÁCIO PIRATINI/JC
A estimativa para o valor da produção agropecuária brasileira (VBP, na sigla utilizada) de 2018 está em R$ 515,9 bilhões. A projeção foi divulgada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ontem. O total é 5,2% menor do que o registrado em 2017, consolidado em
R$ 544,2 bilhões.
No detalhamento por segmentos, o valor das lavouras deve fechar o ano em R$ 346,1 bilhões, 5,7% abaixo do desempenho do ano passado. Já a estimativa de VBP para a agropecuária é de
R$ 169,8 bilhões, 4,1% menor do que o consolidado de 2017.
Se considerados os produtos das lavouras, nove vêm seguindo a tendência de redução do valor, sendo as maiores baixas verificadas em arroz (-7,9%), cana-de-açúcar (-11,9%), feijão (-26,4%), laranja (-21,5%), milho (-12,2%) e uva (-30%). Já oito apresentam aumento de faturamento: algodão (15,4%), batata-inglesa (8,1%), cacau (8%), café (3,6%), mamona (68,7%), soja (0,8%), tomate (35,1%) e trigo (48,9%).
Já na produção agropecuária, a queda projetada de 4,1% no faturamento se deve, principalmente, ao desempenho pior do frango, da carne suína, de leite e de ovos. A diminuição do preço de aves já vem de um processo de mais de dois anos, segundo o ministério.
Entre as regiões, o Centro-Oeste ocupa a liderança do ranking do VBP, seguido de Sul, Sudeste, Nordeste e Norte. Até 2017, o Sul ocupava a primeira colocação. Entre os estados, o melhor desempenho está, até o momento, com Mato Grosso, superando o líder até então, São Paulo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia