Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

CORRIGIR

Combustíveis

Alterada em 07/03 às 12h27min

Governo estuda mudança na tributação de combustíveis

Meirelles afirmou que o governo não pretende mudar a forma como a Petrobras define os preços

Meirelles afirmou que o governo não pretende mudar a forma como a Petrobras define os preços


EVARISTO SÁ/AFP/JC
Agência Brasil
A definição dos preços da gasolina e do gás pela Petrobras é autônoma e baseada na realidade de mercado, mas o governo estuda mudanças na tributação sobre os combustíveis. A afirmação foi feita nesta quarta-feira (7) pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, em Nova Iorque, em conversa com jornalistas.
"A política de preços da Petrobras é autônoma, baseada na eficiência corporativa, na realidade do mercado", disse o ministro, ao ser questionado sobre uma entrevista dada na terça-feira (6) à Rádio CBN de Ribeirão Preto. Na entrevista, Meirelles informou que o governo está discutindo com a Petrobras uma nova política de reajuste de preços dos combustíveis.
Meirelles explicou, nesta quarta-feira (7), que o governo não pretende mudar a forma como a Petrobras define os preços, baseada na cotação internacional. O ministro ressaltou, entretanto, que existem diversos fatores que adicionam preço. Ele citou a margem de lucro das distribuidoras, no caso do gás, e disse que há possibilidade de ação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mas destacou que o Cade é uma entidade independente.
"Ainda existe uma tributação grande sobre os combustíveis e o governo está começando a fazer uma avaliação sobre a necessidade, ou não, de melhora na estrutura de impostos, mas não há prazo para conclusão", acrescentou o ministro.
Questionado sobre a oscilação no preço das ações da Petrobras depois da entrevista que deu ontem, Meirelles respondeu que foi uma reação normal do mercado, que busca ganhar e depois se ajusta. 
CORRIGIR
Seja o primeiro a comentar esta notícia