Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 07 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

comércio exterior

07/03/2018 - 11h17min. Alterada em 07/03 às 11h18min

Casa Branca irá avançar com tarifas à importação de aço e alumínio

Mnuchin afirma que a medida anunciada por Trump não é uma estratégia de negociação

Mnuchin afirma que a medida anunciada por Trump não é uma estratégia de negociação


AARON P. BERNSTEIN/AFP/JC
 O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, afirmou nesta quarta-feira (7) que a Casa Branca avançará com as tarifas à importação de aço e alumínio. Segundo ele, as tarifas anunciadas na semana passada pelo presidente americano, Donald Trump, não são parte de uma estratégia de negociação.
Durante entrevista à rede Fox Business, Mnuchin afirmou que o governo tem ideias sobre o processo que executará para impor essas tarifas. Segundo ele, podem ser anunciadas ainda algumas isenções. Durante a entrevista, Mnuchin comentou o caso do Canadá e do México, que renegociam o Tratado Norte-Americano de Livre Comércio (Nafta, na sigla em inglês) com os EUA. O secretário disse que, caso essa renegociação seja um sucesso, os dois países poderiam ser isentos da nova tarifa.
"A prioridade do presidente é crescimento econômico", enfatizou Mnuchin. Ele disse que as tarifas devem ser vistas nesse contexto, após o governo Trump fazer uma reforma tributária. "O presidente não poderia estar mais focado no crescimento, esse é o foco principal", garantiu. Ele afirmou que os EUA serão "cuidadosos" ante o risco de perdas de empregos com as tarifas e que também agirá de modo a não prejudicar o crescimento econômico.
Mnuchin comentou o anúncio da saída do assessor econômico, Gary Cohn e elogiou o trabalho do colega. "Mas nós temos uma equipe econômica excelente aqui e continuaremos a avançar na estratégia do presidente." Ele ainda citou o caso específico da China, fonte de críticas de Trump de tempos em tempos por supostamente desequilibrar as relações comerciais com os EUA. "Estamos decididos a garantir comércio recíproco com a China", afirmou Mnuchin.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia