Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 06 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Publicidade

Notícia da edição impressa de 07/02/2018. Alterada em 06/02 às 21h07min

Investimento publicitário soma R$ 134 bilhões em 2017

A publicidade movimentou R$ 134 bilhões em compra de mídia em 2017 no Brasil, segundo levantamento da Kantar Ibope Media com cerca de 700 veículos. Mais de 84 mil marcas foram expostas na mídia no ano passado, volume 1,4% superior ao registrado em 2016.
A TV aberta atraiu a maior parte da verba destinada à compra de espaço publicitário, absorvendo 53,6% dos valores brutos no período - ou R$ 71,9 bilhões.
Em segundo aparece a TV por assinatura, com 13,2% do mercado (R$ 17,6 bilhões), seguida por jornais, que alcançaram 11,6% (R$ 15,5 bilhões). Revistas representaram 3,5% do mercado, com R$ 4,7 bilhões.
Os investimentos destinados a meios digitais seguem em ascensão. Os valores apurados nos formatos display (publicidade nas telas da internet) e search (em buscadores, como o Google) alcançaram R$ 6,2 bilhões em valores publicitários brutos, alta de 9%.
A chamada mídia OHH (Out Of Home, ou fora de casa) foi outro meio que cresceu em 2017, registrando alta de 38% e atingindo R$ 3,9 bilhões. A modalidade inclui publicidade em diversas plataformas exteriores, como metrô, relógios urbanos e aeroportos.
O rádio alcançou R$ 6 bilhões em valores publicitários brutos, alta de 24%. A pesquisa passou a incluir mercados que antes não eram contabilizados (Florianópolis, Goiânia e Vitória) e aumentou o período de monitoramento diário de 12 para 16 horas por dia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia