Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de fevereiro de 2018.

Jornal do Comércio

JC Contabilidade

COMENTAR | CORRIGIR

LEITURA

Notícia da edição impressa de 28/02/2018. Alterada em 27/02 às 16h40min

Neuroeconomia tem a mente como eixo central

Detalhe da capa do livro

Detalhe da capa do livro


REPRODUÇÃO/JC
O livro Neuroeconomia - Uma nova perspectiva sobre o processo de tomada de decisões econômicas expõe a nossa limitada capacidade determinista, através do conceito que integra a complexidade da mente, dos números e que também dá nome à obra. Fusão não somente da Neurociência com a Economia, mas também composto pela biologia, física, química, estatística, matemática, psicologia e farmacologia, o conceito da Neuroeconomia percorre na direção da tomada de decisão mais "realista" e adequada ao cotidiano por parte dos agentes econômicos.
De acordo com a leitura, o cérebro tem duas maneiras de decidir: a primeira forma tem a ver com o nosso Espírito Animal (ou inconsciente); a segunda diz respeito ao nosso lado racional (autoconsciente). Inserida nesta dualidade, a economia tradicional baseou a maioria das suas explicações para os problemas econômicos no lado racional de tomada de decisão. Porém este foi um erro que está custando caro demais para empresários, consumidores e governos. Segundo os estudos "neuroeconômicos", quem manda é o Espírito Animal!
Os autores explicam, ao longo da obra, como esta teoria econômica prima pela análise através de exames laboratoriais do cérebro humano quando são expostos a situações de decisão econômica. "Estas abordagens são baseadas em modelos que oferecem possibilidades alternativas e confiáveis para a elaboração e execução de pesquisas referentes à investigação do comportamento dos agentes econômicos", colocam.
A Neuroeconomia consiste em um novo campo de estudos econômicos, o qual analisa as relações entre a organização interna do cérebro e o comportamento dos indivíduos. Baseia-se na tomada decisões individuais, na interação social e diante de instituições como o mercado, como introduzem os autores. Com base neste contexto, nada seria mais apropriado do que estudar as pessoas em situações de firmeza e julgamento. O melhor caminho é conhecer o funcionamento do cérebro e do comportamento desses indivíduos ao tomarem suas decisões econômicas.
Neuroeconomia - Uma nova perspectiva sobre o processo de tomada de decisões econômicas; José Chavaglia Neto, José Antônio Filipe e Manuel Alerto M. Ferreira; Alta Books; 256 páginas; R$ 54,90
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia