Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de março de 2018.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 05/03/2018. Alterada em 02/03 às 19h53min

A humanização da demissão

DEBERNT/DIVULGAÇÃO/JC
Fábio Souza
O desligamento de um executivo é um processo natural dentro das corporações. A demissão, voluntária ou não, é um processo de perda que geralmente desestrutura o profissional e, dependendo dos casos, a própria empresa. Para evitar isso e agradecer o serviço prestado, o recursos humanos (RH) pode trabalhar na recolocação dos executivos, estabelecendo uma parceria.
Quando a empresa decide ajudar esse profissional a se recolocar no mercado de trabalho, ela desfruta de benefícios, como a redução dos impactos negativos que provoca o afastamento de um executivo. Em vez de colocar no mercado um profissional que estará emocionalmente desestruturado, ela o prepara para seguir adiante na carreira.
É preciso ter em mente que o executivo desligado inspirou e motivou muitas pessoas que vão continuar fazendo parte do quadro da empresa. Sendo assim, esse processo de saída deve acontecer de forma natural e com todo o suporte necessário.
É também um modo de humanizar o processo de desligamento do profissional. O suporte fornecido pelo RH promove um acolhimento da pessoa, bem como reforça a gratidão pelo tempo de serviços prestados para a companhia. Isso faz com que o executivo parta para o seu próximo desafio com boas lembranças da empresa de onde saiu.
Colaborar com essa postura ajuda a reforçar a imagem que a empresa tem lá fora, contribuindo com o processo de employer branding que impacta positivamente na construção da boa imagem e reputação. Essa prática também mostra o quanto a companhia se importa com os seus colaboradores.
Os membros da companhia irão observar essa postura como uma demonstração que a empresa se interessa pela qualidade de vida e bem-estar de todos. Assim, o costumeiro clima de apreensão que ocorre após uma demissão pode ser reduzido ou até mesmo eliminado, deixando os profissionais mais seguros e motivados.
A recolocação de executivos também ajuda a reduzir o tempo no qual esses profissionais ficam à disposição do mercado. Desse modo, diminui também o estresse que a situação geralmente agrega, aumenta a autoestima dos executivos e ainda melhora a imagem do profissional perante o mercado.
Diretor da De Bernt
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia