Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 25 de maio de 2017. Atualizado às 00h15.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Assembleia Legislativa

Notícia da edição impressa de 25/05/2017. Alterada em 24/05 às 21h32min

Moção parlamentar contra concessão da BR-386 será encaminhada à ANTT

Uma moção de repúdio à proposta de concessão da BR-386 apresentada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) foi protocolada pelo deputado Enio Bacci (PDT) junto à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa. O documento tem o apoio de 44 parlamentares.
Há duas semanas coletando as assinaturas dos colegas, Bacci destaca que a maioria é contra o modelo proposto, assim como a comunidade local. A posição será formalizada aos órgãos competentes, como ANTT e Ministério dos Transportes. "Queremos dar voz e somar forças à opinião da população local", destacou Bacci.
O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Edegar Pretto (PT), recebeu o documento e afirmou que a posição se torna oficial da Assembleia, já acolhida pelos líderes das bancadas, e que dará o prosseguimento cabível ao assunto. 
A moção de repúdio surgiu como encaminhamento de audiência pública realizada em Lajeado no dia 19 de abril. O deputado Bacci lembra que todos os investimentos feitos até hoje vieram de recursos federais e que nunca se dependeu de concessão para duplicação de rodovias no Estado. "Este modelo, que prevê 30 anos de concessão renováveis por mais 30, é praticamente um pedágio perpétuo. Precisamos de duplicação e manutenção na rodovia, mas, neste modelo, é inviável para a população local", avalia o parlamentar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia