Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de novembro de 2016. Atualizado às 21h44.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Palavra do Leitor

Notícia da edição impressa de 10/11/2016. Alterada em 09/11 às 21h51min

Perícia médica do INSS

Meu genro rompeu o tendão de Aquiles. Perícia agendada no Posto Passo d'Areia do INSS para o dia 8 de novembro deixou de ser realizada simplesmente porque a médica perita não compareceu ao serviço. E sequer avisou o motivo da ausência aos colegas ou chefia. Nova data foi agendada para o dia 29 de novembro, com isso retardando bastante o recebimento do beneficio auxílio-doença do genro e de todos os que ela deveria atender nesse dia. Enquanto os segurados terão dificuldades financeiras para pagar suas contas, certamente, a zelosa servidora conseguirá elaborar um boa justificativa para ter abonada a falta e não sofrer qualquer desconto na sua remuneração. Esse é apenas um singelo exemplo do descaso dispensado pelo INSS aos desprotegidos segurados da Previdência. (Sérgio Lender)
Invasões
Criticam tanto os Estados Unidos, especialmente nichos da esquerda, intelectuais e universitários, mas na hora "H" usam termos vindos de lá. É o caso do Ocupa, usado nas invasões de escolas e universidades. Lembram-se do "Occupy Wall Street", há cerca de três anos? Agora, invasões por alguns, com apoio das direções de faculdades, como aqui em Porto Alegre, usam a mesma palavra. Claro, o "líder máximo" já disse que tem dedo dos EUA na deposição de Dilma Rousseff (PT). Esqueceu das vigarices na Petrobras e em ministérios, durante os governos da "cumpanheirada"... Ah, esqueci de dizer que estes movimentos de alguns alunos com apoio de partidos, entidades da categoria, servidores e professores não terá problema algum. Servidor público faz feriadão, greve e não dá nada, nem desconto dos dias parados e fica tudo por isso mesmo. Beleza! (Otelo de Souza Tavares, Porto Alegre)
Besteiras
Incrível como certos provedores da internet só colocam besteiras irrelevantes nas suas páginas iniciais, pelas quais muitos, como eu, estão pagando para acessar. Pensei que já tivesse visto tudo, mas me deparei com a "notícia" de que uma moça usava calcinhas especiais por causa da sua menstruação muito forte... (Marco Antônio Vicentino, Porto Alegre)
Ingovernabilidade
A cada dia que passa fico mais estarrecido com essa situação de ingovernabilidade no Estado. Servidores recebendo seus salários em suaves e módicas prestações ao longo do mês, presos aguardando horas a fio em xadrezes de viaturas com PMs fazendo a custódia deles e, logo, afastados de sua atividade-fim, não bastasse a escassez de efetivos policiais. Enquanto isso, na Sala de Justiça, o governador tenta ajuda de União - parece que no sabe fazer mais nada... E o secretário ainda estuda soluções como o uso de containers e até de navios fundeados no porto. E quem vai cuidar desses presos? Se não há agentes para algumas prisões e a Brigada tem que fazer o trabalho deles em vez do seu, como será nesses locais exógenos? Pobre Rio Grande! (Rogério T. Brodbeck, coronel reformado da Brigada Militar, Pelotas/RS)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia