Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 01 de setembro de 2016. Atualizado às 23h18.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Câmara de porto alegre

Notícia da edição impressa de 02/09/2016. Alterada em 01/09 às 21h38min

Ritmo lento no plenário pode ir até fim das eleições

Juliana Mastrascusa, especial para o JC
Pelo menos até o final do período de campanha eleitoral, as sessões na Câmara de Porto Alegre devem continuar mais esvaziadas do que o normal. Na tarde desta quinta-feira, poucos vereadores compareceram ao Plenário Ana Terra, e apenas um veto foi apreciado. A prioridade das bancadas deve ser a votação das quintas-feiras. Nas segundas-feiras, um acordo informal entre os vereadores estabelece que nada considerado "inadiável" seja colocado na ordem do dia.
Entretanto, na próxima segunda-feira, segundo o vereador Reginaldo Pujol (DEM), haverá um esforço da base de José Fortunati (PDT) para que haja o número mínimo de parlamentares para que sejam votados seis vetos vindos do Executivo. "Faremos de tudo para ter quórum para votarmos os vetos e liberarmos a pauta", explicou Pujol. O representante do DEM ocupa a liderança do governo enquanto Kevin Krieger (PP) está afastado da função para se dedicar à campanha de Nelson Marchezan Júnior (PSDB) à prefeitura.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia