Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 05 de setembro de 2016. Atualizado às 20h08.

Jornal do Comércio

Jornal da Lei

COMENTAR | CORRIGIR

Justiça do Trabalho

Notícia da edição impressa de 06/09/2016. Alterada em 05/09 às 18h26min

Tribunais podem ter de fechar as portas, diz presidente do TST

O presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, disse, na semana passada, que, se os cortes no orçamento da Justiça do Trabalho promovidos pelo governo federal forem mantidos no próximo ano, tribunais vão fechar as portas. A reclamação reflete um aumento na demanda em razão dos altos níveis de desemprego, que já atinge quase 12 milhões de brasileiros. Segundo Gandra, já chegaram 3 milhões de reclamações aos tribunais da Justiça do Trabalho em todo o Brasil neste ano. Um milhão a mais do que normalmente teriam recebido.
"Não estamos preparados para esse aumento de reclamatórias. Isso faz com que a Justiça não consiga dar uma resposta rápida. Tivemos um corte orçamentário tão grave que alguns tribunais não trabalham mais em período integral", afirmou Gandra, antes de participar de seminário comemorativo dos 75 anos da Justiça do Trabalho, promovido pela FGV-Rio. "O que estamos trabalhando com Congresso e governo é que, se continuarem esses cortes, vamos fechar as portas."
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia