A gaúcha Juliana e o paulista Lattes abriram o Piccolino Café, no bairro Moinhos de Vento A gaúcha Juliana e o paulista Lattes abriram o Piccolino Café, no bairro Moinhos de Vento Foto: FREDY VIEIRA/JC

O café que surgiu pela incompatibilidade de salário no Rio Grande do Sul

O paulista Eduardo Lattes, 43 anos, publicitário de formação, tinha parte na empresa de assessoria de imprensa da família antes de se mudar para Porto Alegre, cidade natal de sua esposa, Juliana Canellas, 41. Em São Paulo, ele faturava cerca de R$ 15 mil por mês. Na capital gaúcha, os empregos lhe ofereciam cerca de R$ 2 mil.
Para manter o padrão de vida que levava em São Paulo, Lattes teve de empreender. Há cerca de um ano, ele comprou um ponto que não ia bem na rua Félix da Cunha, no bairro Moinhos de Vento, e criou o Piccolino Café. Os custos fixos dele, hoje, partem de R$ 15 mil - quantia que consegue cobrir com trabalho diário. A operação abre de segunda a segunda.
Leia o texto integral em nossa edição para folhear
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

Receba no seu email todas as notícias sobre empreendedorismo. Cadastre-se:





Mostre seu Negócio
Redes Sociais