Porto Alegre, quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016. Atualizado às 23h26.
Dia do Atleta Profissional.
PREVISÃO DO TEMPO
PORTO ALEGRE AMANHÃ
AGORA
27°C
32°C
21°C
previsão do tempo
COTAÇÃO DO DÓLAR
em R$ Compra Venda Variação
Comercial 3,9340 3,9360 0,63%
Turismo/SP 3,7500 4,0300 0,24%
Paralelo/SP 3,7500 4,0300 0,24%
mais indicadores
Página Inicial | Opinião | Economia | Política | Geral | Internacional | Esportes | Cadernos | Colunas | GeraçãoE
ASSINE  |   ANUNCIE  |   ATENDIMENTO ONLINE
COMENTAR CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR

Artigo Notícia da edição impressa de 11/02/2016. Alterada em 10/02 às 21h47min

Servir e não se servir

Onyx Lorenzoni

As pessoas estão em primeiro lugar. Para o petismo, a prioridade sempre foi outra. Fui titular da CPMI dos Correios, do Mensalão e da CPI da Petrobras, que investigaram os maiores escândalos de corrupção da história. Sempre tive a convicção de que os dois são interligados. As descobertas da Operação Lava Jato clareiam os fatos e irão mostrar a ligação operacional entre os esquemas de corrupção. Em comum, a atuação de figuras como José Dirceu, todo poderoso ministro de Lula, condenado no Mensalão e preso no Petrolão, além dos tesoureiros do PT, Delúbio no Mensalão e Vaccari, o coletor de propinas do Petrolão.
O objetivo também é comum: financiar o projeto de poder comprando apoio político, encher bolsos e contas no Brasil e no exterior com dinheiro roubado. O Brasil nunca foi a prioridade dos governos Lula e Dilma. Os fatos comprovam.
Mentiras, corrupção, incapacidade e desperdício são marcas dos 13 anos de petismo no poder e responsáveis pela crise política e econômica que o País atravessa. O descaso dessa gente com o País jogou a conta no colo de todas as pessoas a quem eles deveriam servir, mas apenas se serviram. As investigações avançam, e a cada descoberta ficam claras as intenções do autointitulado "governo popular" e o papel de seu líder, aquele que se diz a alma mais honesta deste País, mas não passa do maior oportunista da história.
Na minha opinião, o "honestão" é o grande chefe do bando. Para defender o indefensável, atores e apoiadores dessa barbaridade atacam o trabalho da Justiça, da Polícia Federal e da imprensa livre. Usam argumentos que, num primeiro momento, podem parecer simples deboches, mas são reveladores. Com a pérola "Vaccari não cometeu desvios em causa própria" tentam justificar que vale tudo em nome da causa. Não vale! A lei é para todos. Em 2016, os avanços da Lava Jato e as eleições municipais trazem a oportunidade de iniciar uma mudança e varrer da vida política quem não cumpre o seu dever, não importa de qual partido seja. Quem faz política deve servir às pessoas, e não se servir delas. Fé no Brasil!
Deputado federal (DEM)
COMENTÁRIOS
Deixe seu comentário sobre este texto.



DEIXE SEU COMENTÁRIO CORRIGIR ENVIAR imprimir IMPRIMIR
LEIA TAMBÉM
Opinião econômica: Pra não dizer que não falei das flores A moda do empreendedorismo Opinião Econômica: Fracasso Vivemos a revolução do conteúdo

 EDIÇÃO IMPRESSA

Clique aqui
para ler a edição
do dia e edições
anteriores
do JC.


 
para folhear | modo texto
» Corrigir
Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.
Nome:
Email:
Mensagem:
» Indique esta matéria
[FECHAR]
Para enviar essa página a um amigo(a), preencha os campos abaixo:
De:
Email:
Amigo:
Email:
Mensagem:
 
» Comente esta notícia
[FECHAR]
  Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.  
  Nome:  
  Email:    
  Cidade:    
  Comentário:    
500 caracteres restantes
 
Autorizo a publicação deste comentário na edição impressa.
 
Digite o resultado
da operação matemática
neste campo