Goulart e Sabrina aposentaram o crachá em 2012. Há um ano, montaram a produção Goulart e Sabrina aposentaram o crachá em 2012. Há um ano, montaram a produção Foto: FREDY VIEIRA/JC

Casal larga empregos para produzir cupcakes

A Cupdelicious tem hoje uma produção média de mil cupcakes por dia

Foi em busca de um incremento financeiro, aliado ao desejo de deixar de serem empregados, que Sabrina Maester, 25 anos, e Lucas Goulart, 28, criaram a Cupdelicious. O casal deixou para trás, em 2012, os trabalhos com carteira assinada para se dedicar aos cupcakes.
A empresa, que ainda não possui funcionários, tem hoje uma produção média de 1 mil minicupcakes por dia e uma lista de produtos incrementada: ultrapassou o mercado dos bolinhos para apostar, ainda, em salgados e tortas.
Segundo Goulart, não dá para pensar muito na hora de dar o pontapé em um negócio. "Não sabíamos se era o momento. Investimos sem pensar se daria certo", conta.
Goulart trabalhava na Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul e Sabrina era auxiliar administrativa. Eles afirmam que não queriam ficar acomodados em seus empregos, mas almejavam uma folguinha no orçamento, então, apertado.
Sem afinidade nenhuma com gastronomia profissional, os dois pesquisaram receitas de cupcakes e passaram a produzir em casa, de maneira informal. "Todo mundo gostava muito e então pensamos: por que não transformar isso em negócio?", lembra Sabrina.
A virada aconteceu entre 2012 e 2013, quando perceberam que a ideia inicial de complementação de renda tinha muito a ver com qualidade de vida. "Antes, perdíamos muito tempo no trânsito. Até nisso, o negócio em casa ajudou", explica ela.
A questão financeira, de não ter mais um salário fixo, não assustou a dupla. "Às vezes, a pessoa usa a desculpa do dinheiro para não fazer algo. Se tu começas sem nada, cada conquista será muito importante", diz Goulart.
Manter uma empresa sem uma estrutura formal, porém, é sinônimo de rotina intensa. A produção da Cupdelicious começa nas quartas-feiras e se estende pelo fim de semana. Nos outros dias, as tarefas são com fornecedores.
Os cupcakes grandes custam R$ 4,00. Eles são, em sua maioria, personalizados e podem ter as mais diferentes cores e formatos - conforme a vontade do cliente.
Segundo Sabrina e Goulart, entre as dificuldades do percurso, além do reconhecimento imediato, está trabalhar com culinária no Rio Grande do Sul. "Vender gastronomia aqui no Estado é difícil. Por causa da imigração italiana e alemã, a questão da comida é muito presente, a oferta é grande", expõe Goulart.
Apesar dos desafios, o casal está animado sobre o futuro, pois já conseguiram montar até sua produção, de maneira mais industrial, há cerca de um ano. "Tivemos a possibilidade de desistir várias vezes, mas não desistimos. Já houve frustrações, mas isso faz parte", realiza Sabrina.
Compartilhe
Artigos relacionados
Comentários ( )
Deixe um comentário

Publicidade
Newsletter

Receba no seu email todas as notícias sobre empreendedorismo. Cadastre-se:





Mostre seu Negócio
Redes Sociais